quarta-feira, julho 24, 2024
spot_img
HomeRegulamentaçãoCVM faz alerta para corretora de criptomoedas no Brasil

CVM faz alerta para corretora de criptomoedas no Brasil

A Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) emitiu um alerta sobre a atuação irregular de uma corretora de ativos, incluindo criptomoedas, no Brasil. A empresa em questão é a Smarttool Trading SC Limited, que opera no Brasil por meio do site axiainvestments.com. Segundo a CVM, a empresa não tem autorização para atuar no mercado de valores mobiliários brasileiro. A Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediário (SMI) descobriu que a empresa está tentando atrair clientes brasileiros para transações com valores mobiliários.

CVM faz alerta

Através do Ato Declaratório CVM 22.000, a corretora foi ordenada a suspender imediatamente qualquer oferta de serviços de intermediação de valores mobiliários. Isso inclui a oferta de serviços por meio de sites, aplicativos ou redes sociais.

Mas caso não cumpra a determinação, a empresa e as pessoas que venham a ser identificadas como participantes dos atos irregulares estarão sujeitos à multa diária no valor de R$ 1.000,00.

Assim, a CVM pede que investidores que recebam propostas de investimento por parte da empresa citada, entrem em contato com o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC). Fornecer detalhes da oferta e identificar os envolvidos permitirá uma ação rápida da Autarquia.

No entanto, a agência de regulação destacou que o alerta em questão consiste apenas em um stop order. Ou seja, trata-se de uma medida de natureza cautelar, com o objetivo de prevenir ou corrigir situações anormais de mercado detectadas pela Autarquia.

A Smarttool Trading, de acordo com o site da corretora, é uma empresa “fornecedora as ferramentas certas para apoiar totalmente traders de todos os níveis”. No entanto, a corretora afirma operar com ações, índices, criptomoedas (Bitcoin, Ether, Dogecoin e Cardano) e Commodities.

De qualquer forma, na plataforma Reclame Aqui, a Axia Investing (nome sob o qual opera no Brasil), acumula uma série de reclamações. A empresa tem uma reputação “Não recomendada” na plataforma. As principais queixas são:

  • Problemas com saques
  • “Abandono” de cliente
  • Atendimento ruim
  • Desrespeito ao cliente
Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img