quinta-feira, junho 13, 2024
spot_img
HomeRegulamentaçãoBanco Central diz que regulamentação das exchanges no Brasil fica para 2025

Banco Central diz que regulamentação das exchanges no Brasil fica para 2025

As exchanges, mas conhecidas como as corretoras de criptomoedas têm sua regulamentação adiada pelo Banco Central. A declaração foi de Otavio Damaso, diretor de Regulação do Banco Central (BC). À princípio, esse processo deveria ser mais rápido, mas acabou ficando prometido a conclusão apenas para o primeiro semestre de 2025.

Banco Central já havia feito consultas públicas

A revelação ocorreu durante o 4º Congresso Brasileiro de Internet, organizado pela Associação Brasileira de Internet (Abranet). Damaso informou que a próxima consulta pública sobre o tema está agendada para setembro de 2024.

“Estamos em um processo bem avançado”, disse Damaso, destacando o empenho do BC na elaboração da regulamentação necessária para a gestão de criptoativos.

Em 2023, o BC já havia realizado duas consultas públicas sobre a regulamentação das criptomoedas. A primeira, concluída em janeiro, está em fase de análise dos feedbacks recebidos. O objetivo era coletar contribuições sobre aspectos técnicos e promover o diálogo entre o regulador, o público e os agentes de mercado.

Em maio deste ano, o BC anunciou a segunda consulta pública e iniciou o planejamento interno para a regulamentação de stablecoins, com foco em pagamentos e mercado de câmbio. A regulamentação das exchanges de criptomoedas no Brasil é um passo importante para a segurança e transparência do mercado.

Maiores desafios

As “exchanges” de criptomoedas no Brasil enfrentam vários desafios. Um dos principais é a falta de regulamentação pelo Banco Central. Portanto, a falta de um Marco Regulatório para o mercado de criptomoedas no país, o que pode levar a problemas jurídicos e econômicos.

Outro desafio é a alta volatilidade das criptomoedas. Isso pode gerar incertezas e riscos para os investidores, dificultando a adoção em massa desses ativos.

Mas a baixa inclusão digital pode ser o principal obstáculo. Muitos brasileiros ainda não têm acesso à internet ou não conhecem as tecnologias digitais disponíveis. Então, isso pode limitar o alcance e o entendimento das criptomoedas no país.

Além disso, a falta de conhecimento dos próprios reguladores desses ativos digitais e sua tecnologia pode dificultar a implementação de uma regulamentação adequada. Ou seja, a legislação que está por vir pode vir cheia de erros e lacunas e causa mais insegurança jurídica sobre o tema.

Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img