sexta-feira, maio 24, 2024
spot_img
HomeBitcoinCarteira falsa de criptomoedas engana usuários da Apple Store

Carteira falsa de criptomoedas engana usuários da Apple Store

Investidores estão relatando a perda de suas criptomoedas ao baixar uma carteira falsa na Apple Store. Os dados on-chain indicam que o prejuízo já ultrapassa os R$ 850.000, envolvendo Ethereum, tokens e NFTs.

Não é o primeiro caso de golpe de criptomoedas na Apple Store. Imagem: Divulgação

Não é o primeiro caso de golpe de criptomoedas na Apple Store

Os golpistas copiaram tanto o nome quanto o logotipo de outra carteira legítima, a Rabby Wallet. Os desenvolvedores da Rabby informaram que sua carteira continua em análise para entrar na loja de aplicativos da Apple, ao contrário da falsa, que já foi aprovada.

Mas esta não é a primeira vez que usuários da Apple enfrentam esse tipo de problema. Apesar da reputação de segurança da empresa, até uma versão falsa da Electrum, uma das carteiras mais famosas de Bitcoin, passou pela avaliação da App Store.

Relatos e capturas de tela mostram que a carteira falsa é uma cópia quase idêntica da Rabby Wallet. Mas a empresa, por enquanto, só teve autorização de uso na Play Store para dispositivos Android, ela ainda aguarda aprovação na Apple Store.

Um usuário no X, antigo Twitter, comentou: “Hoje fui vítima de uma carteira falsa na App Store da Apple. Era parecida com a Rabby Wallet. A pessoa por trás do golpe removeu a maioria dos meus ativos.”

Outro alertou: “Cuidado com as carteiras, mesmo na app store. Pensei que era segura – estúpido, claro!”

O hacker movimentou cerca de 52 ETH, aproximadamente R$ 850.000, de acordo com informações do endereço compartilhado por uma vítima. Outros usuários relataram experiências semelhantes nos comentários.

A equipe da Rabby Wallet confirmou o golpe: “Um aplicativo iOS FALSO surgiu. Nosso aplicativo iOS ainda está sob revisão.”

A Apple não se pronunciou publicamente sobre o incidente. No entanto, a Apple parece ter removido a carteira falsa de sua loja. Em resumo, as vítimas não esperam receber compensação da empresa e recomendam o download apenas de aplicativos de fontes confiáveis.

Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img