quinta-feira, junho 13, 2024
spot_img
HomeBitcoinEl Salvador teria extraído 474 Bitcoin com energia geotérmica

El Salvador teria extraído 474 Bitcoin com energia geotérmica

El Salvador, o primeiro país a adotar o Bitcoin como moeda legal, fez história novamente. Segundo dados oficiais do “The Bitcoin Office of El Salvador” (ONBTC), o país adicionou 473,5 BTC ao seu tesouro, utilizando energia geotérmica do complexo vulcânico Tecapa.

El Salvador seria o 1º país a usar energia verde

A mineração de Bitcoin tem sido um tema controverso devido ao seu alto consumo de energia. No entanto, El Salvador está mostrando ao mundo que é possível minerar Bitcoin de maneira sustentável. 

A energia geotérmica, proveniente do complexo vulcânico Tecapa, tem sido a fonte de energia para a mineração de Bitcoin no país desde 2021. Ou seja, os mineradores de Bitcoin em El Salvador estão colhendo os frutos dessa iniciativa verde. 

Utilizando a energia da usina geotérmica de Berlim, 300 mineradores conseguiram adicionar 473,5 BTC ao tesouro público do país. Isso faz parte dos mais de 5.750 BTC que El Salvador detém atualmente.

O presidente Nayib Bukele tem sido um grande defensor da energia geotérmica. Ele até compartilhou um vídeo mostrando o início das operações na usina geotérmica. Esta é uma das primeiras vezes que a administração de Bukele oferece um balanço dos resultados dessa iniciativa de mineração verde.

Mas, de acordo com o presidente, ainda há muito potencial para expansão. Atualmente, apenas 1,5 MW dos 120 MW produzidos pela usina de Berlim são utilizados para mineração de Bitcoin. 

Em 2022, Bukele confirmou que o país estava investindo para aumentar a capacidade de sua rede geotérmica. Ele revelou que encontrou um poço capaz de produzir 95 MW em 2022. Essa quantidade de energia seria o suficiente para abastecer a “Bitcoin City”, uma metrópole movida por energia verde anunciada pelo presidente em 2021. 

Em resumo, com essas iniciativas, El Salvador está se posicionando, cada vez mais, como um líder na mineração sustentável de Bitcoin. O país vem mostrando ao mundo que a criptomoeda e a sustentabilidade podem andar de mãos dadas.

Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img