sexta-feira, maio 24, 2024
spot_img
HomeBitcoinFBI pode confiscar criptomoedas de quem não usa KYC nas corretoras

FBI pode confiscar criptomoedas de quem não usa KYC nas corretoras

O Departamento Federal de Investigação dos EUA, mais conhecido como FBI, publicou um aviso para investidores de criptomoedas na última sexta-feira (26). Assim, segundo a agência, investidores devem evitar o uso de corretoras que não verificam a identidade de seus clientes, recurso também conhecido pela sigla inglesa KYC (Know Your Customer).

FBI não quer investidores comprando criptomoedas sem KYC

O aviso aconteceu na mesma semana em que os EUA prenderam os desenvolvedores da Samourai Wallet, uma carteira de Bitcoin focada em privacidade. Desenvolvedores enfrentam acusações de lavagem de dinheiro no processo em andamento.

Também na última quinta-feira (25), a União Europeia aprovou um novo conjunto de leis contra lavagem de dinheiro. O texto, embora vasto, discute também o emprego de criptomoedas e a participação de empresas do ramo.

A detenção dos criadores da Samourai Wallet incendiou as redes sociais esta semana. Afinal, há um delicado equilíbrio entre o combate à lavagem de dinheiro e a privacidade dos indivíduos.

Uma nova publicação do FBI mostra que essa guerra está longe do fim. Pois, segundo a agência de investigação, americanos devem evitar o uso de corretoras e outras empresas que não possuem licença para operar os EUA.

“Por exemplo, evite serviços de transmissão de criptomoedas que não coletam dados sobre seus clientes (KYC) quando necessário.”

Na sequência, as autoridades afirmam que endereços ligados a esses serviços poderão ser censurados no caso de novos processos. Então, embora o governo não possa confiscar seus bitcoins, ou outras moedas descentralizadas, elas podem ser congeladas por corretoras após depósitos.

Até criador do Ethereum já usou mixers

“As pessoas que utilizam serviços de transmissão de criptomoedas não licenciados podem enfrentar interrupções financeiras durante ações de aplicação da lei. Principalmente aquelas onde suas criptomoedas estiverem misturadas com fundos obtidos ilegalmente.” – relatou o FBI.

“Ou seja, a utilização de um serviço que não cumpre as suas obrigações legais pode fazer você perder acesso a seus fundos após ações contra essas empresas.” – completou o FBI

No passado, as autoridades americanas também derrubaram mixers como Tornado Cash, Blender e ChipMixer. Já as corretoras estão removendo criptomoedas focadas em anonimato, como é o caso da Monero (XMR).

Mas o grande problema é que o combate ao crime também é um ataque à privacidade. Vitalik Buterin, o fundador russo do Ethereum, usou mixers para fazer doações à Ucrânia, que está em guerra com seu país de origem.

Em outro caso, um desenvolvedor foi pego novamente usando um novo mixer, mas saiu em defesa da privacidade.

Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img