segunda-feira, maio 27, 2024
spot_img
HomeMetaversoTarantino quer criar um metaverso para 'The Movie Critic'

Tarantino quer criar um metaverso para ‘The Movie Critic’

O conceito de metaverso tem sido uma tendência crescente, e o diretor Quentin Tarantino parece ter se interessado por ele. Segundo informações, Tarantino planejava criar um metaverso para seu décimo e último filme. Mas não é só isso, o diretor cogita a hipótese personagens de seus filmes anteriores e até mesmo uma versão mais jovem dele mesmo aparecer no filme.

Depois de alguns projetos abandonados, metaverso ganha força

O “Tarantino-verse”, como foi chamado, seria ambientado em um cinema fictício, com o jovem Tarantino atuando como porteiro. Ele interagiria com os personagens e os atores fictícios que os interpretaram. Ou seja, o metaverso seria uma espécie de ficção dentro de uma ficção, aparecendo em “The Movie Critic” como um filme dentro de um filme.

No entanto, Tarantino anunciou que “The Movie Critic” não vai acontecer. Isso não é novidade, já que outros projetos para seu décimo filme também foram abandonados. Um deles era um filme ambientado no universo de “Kill Bill”, onde a filha de um personagem morto pelo protagonista dos dois primeiros filmes retornaria para se vingar.

Tarantino também esteve ligado a um filme de “Star Trek”, que seria uma versão sombria e voltada para adultos da franquia. Mas Tarantino, aparentemente, não queria encerrar sua carreira com um grande filme de franquia e, por isso, abandonou esse projeto.

Portanto, ainda não se sabe se Tarantino manterá o metaverso planejado para “The Movie Critic”. Não há confirmação sobre qual será o décimo filme de Tarantino. Mas é possível que o “Tarantino-verse” possa existir fora das telas de cinema.

Não é a primeira vez que Tarantino mostra interesse pelo tema

Tarantino já mostrou interesse pelo metaverso e pelos tokens não fungíveis (NFTs) antes. Ele vendeu NFTs contendo ‘segredos’ de seus filmes, incluindo cenas do roteiro não editadas de “Pulp Fiction”. 

No entanto, ele foi processado pela Miramax, que afirmou ter propriedade sobre a propriedade intelectual envolvida. A Miramax também estava trabalhando em seus próprios NFTs relacionados a Tarantino. De qualquer forma, as duas partes chegaram a um acordo.

Portanto, o que não vai faltar é história com uma carreira de quase 40 anos. Uma experiência que inclui uma participação especial no programa de TV “Golden Girls” dos anos 1980 como um imitador de Elvis, até reescrever os assassinatos de Charles Manson em seu conto de história alternativa “Once Upon a Time in Hollywood” em 2019. 

Um “Tarantino-verse” parece uma questão de tempo e, para os fãs, isso poderia ser uma experiência expansiva e abrangente de gêneros sem precedentes.

Paulo Cardoso
Paulo Cardoso
Formado pela PUC-RJ (2002) em Jornalismo, com Pós Graduação na ESPM-RJ (2006) em Comunicação com o Mercado. Trabalhou em rádio, jornal, editora de livros como revisor e agências de publicidade como redator, estratégia de negócio e social media. Editorias trabalhadas: entretenimento, futebol, política, economia, petróleo, marketing, negócios, iGaming e tecnologia.
NOTÍCIAS RELACIONADAS
- Advertisment -spot_img

últimas notícias

- Advertisment -spot_img